Sobre nós

Mad in Portugal é um espaço de reflexão crítica, divulgação científica e de partilha de saberes experienciais no campo da saúde mental. Dando atenção à realidade portuguesa num contexto internacional, MIP traz ao espaço público notícias, artigos científicos e de divulgação, testemunhos e contributos literários e artísticos, traduzidos e originais. MIP articula-se com a rede Mad in America Global, um projecto fundado pelo jornalista de investigação Robert Whitaker, e hoje agrupando colaboradores/as trabalhando a partir de mais 14 países.   

MIP pretende estimular o debate entre todos os intervenientes no campo da saúde mental, dirigindo-se aos profissionais deste campo, utentes da psiquiatria e saúde mental, pessoas vivendo com diagnósticos psiquiátricos, familiares, cuidadores, gestores, decisores políticos, profissionais dos media e a todo o público interessado. 

O site acolhe uma pluralidade de perspectivas, não se filiando em nenhuma corrente teórica ou doutrinal e não tem fins lucrativos. O compromisso de MIP define-se pela orientação ética de democratizar o espaço da saúde mental, estimular o pensamento crítico e dar a conhecer experiências e propostas com potencial transformador do cuidado das pessoas em sofrimento psíquico ou com experiências sensoriais não partilhadas. Neste sentido, a missão de MIP é de articular a divulgação e crítica científicas com as questões relacionadas com o cuidado, os direitos humanos e a inclusão de todas as pessoas.   

Mad in Portugal inclui três secções. 

A secção Artigos contém artigos científicos, notas de leitura, crítica de artigos e livros, nacionais e internacionais. Neste espaço MIP apoia-se na rede MIA Global, apresentando ao público português artigos que a equipa editorial considera particularmente relevantes. 

A secção Testemunhos inclui testemunhos de pessoas com experiência de doença mental e/ ou sofrimento psíquico, de experiências de vida não partilhadas e/ou não compreendidas por outras pessoas, mas também de profissionais e cuidadores. Esta secção é o espaço privilegiado para a expressão de vozes em geral pouco presentes no espaço público. 

Na secção Mad in the World, o leitor encontra links para os sites da rede. 

MIP convida o/a leitor/a a enviar comentários e opiniões críticas que possam contribuir, de forma construtiva, ao desenvolvimento de um debate público esclarecido. Poderá igualmente propor artigos e testemunhos. Contacte a equipa editorial com o seu comentário ou a sua proposta aqui: madinportugal.site@gmail.com

Equipa editorial

Tiago Pires Marques

Investigador no Centro de Estudos Sociais (CES), Universidade de Coimbra desde 2014. Doutorado em História no Instituto Universitário Europeu de Florença, com a dissertação Crime and the Fascist State (Routledge, 2016). Interessa-se especialmente pela história da psiquiatria e saúde mental e pelos saberes, propostas políticas e alternativas à psiquiatria produzidas pelos movimentos de utentes no campo da psiquiatria. De entre as suas publicações recentes, destaca-se o livro Legitimidades da Loucura. Sofrimento, luta, criatividade e pertença (Edufba – Editora da Universidade Federal da Bahia, 2018; coord. em colaboração com Mônica Nunes) e A Saúde Reinventada: Novas perspetivas sobre a medicalização da vida (CES/ Almedina; coord. em colaboração com Sílvia Portugal).

Celina Vilas-Boas

Psicóloga, formou-se na Universidade de Coimbra com a tese “A politização do sofrimento: uma leitura dos Grupos de Apoio Mútuo desde a Economia Feminista” construída a partir do acompanhamento de grupos de apoio mútuo de pessoas “psiquiatrizadas” em Barcelona. Esteve ligada a hospitais psiquiátricos e a estruturas na comunidade; actualmente acompanha pessoas com experiências de realidade alterada ou não consensual em prática privada. Em 2016, ajudou a lançar o primeiro grupo de ouvidores de vozes em Portugal e tem, desde aí, se dedicado a construir e divulgar o Movimento, inclusive através da facilitação do grupo de pares. Outros temas de interesse incluem (Des)institucionalização, Gestão Autónoma de Medicação e Feminismos.

Mattia Faustini

Pesquisador e doutorando em “Discursos: Cultura, História e Sociedade” na Universidade de Coimbra (CES-UC). Formado em psicologia na Universidade de Padova (Itália), encontra na literatura e na transdisciplinariedade um recurso para proporcionar cuidado e escuta nas comunidades, realizando oficinas de escrita e leitura dentro bem como fora de serviços psiquiátricos. Procura, assim, gerar espaços criativos e críticos de debate sobre as práticas e as instituições da saúde mental, desenvolvendo intervenções coletivas, em Portugal bem como na Itália, em colaboração com pessoas com experiência de sofrimento psíquico, diagnóstico e sobrevivência.

Consultores científicos

Paulo Amarante

Médico psiquiatra, Mestre, Doutor e Pós-doutor no campos da saúde coletiva, saúde pública e saúde mental. É Pesquisador Sênior da Fundação Oswaldo Cruz onde atua no Laboratorio de Estudos e Pesquisas em Saúde Mental e Atenção Psicossocial (LAPS), e no Centro de Estudos Estratégicos (CEE), e também Curador da Comunidade de Práticas em Saúde Mental e Atenção Psicosocial do IdeiaSUS, é editor do site Mad in Brasil, é Presidente de Honra da Associação Brasileira de Saúde Mental (Abrasme) e Doutor  Honoris causa  da Universidade Popular Madres de Plaza de Maio.

João Arriscado Nunes

Professor Catedrático Aposentado de Sociologia da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e  Investigador Permanente do Centro de Estudos Sociais. Foi co-coordenador do Programa de Doutoramento “Governação, Conhecimento e Inovação” e membro do Conselho Consultivo da Associação Portuguesa de Sociologia. Coordenou os projectos de investigação “Avaliação do estado do conhecimento público sobre saúde e informação médica em Portugal”, no âmbito do Programa Harvard Medical School – Portugal e “O envolvimento da ciência com a sociedade: ciências da vida, ciências sociais e públicos – BIOSENSE”, entre outros. Foi membro do Conselho da European Association for the Study of Science and Technology (EASST).